Foi em um universo repleto de referências visuais que cresceu Pixote Mushi. Nas geométricas e cinzentas paisagens industriais da região do ABCD em São Paulo, misturadas com o empilhamento de casas e pessoas, culturas e expressões da periferia e do centro de São Paulo que Pixote absorveu e vivenciou a rica produção cultural da maior metrópole da América Latina. Iniciou sua produção artística aos 12 anos através do grafitti, expressão visual do Hip Hop, como grande parte da juventude periférica da cidade e depois se inseriu no universo da Computação Gráfica, como modelagem 3D e design de personagens. Mas foi quando começou a trilhar seu caminho rumo ao auto descobrimento que o artista encontrou sua essência.
Quando em meio ao caos e a profusão de estéticas que o artista trabalha, questiona-se qual o toca mais profundamente, e descobre-se apaixonado pela arte popular. Assumindo seu DNA como artista, ao“voltar-se pra si”, sai pelo Brasil em busca das raízes, indígenas, nordestinas e também africanas por que não? É que o artista encontra a fonte da qual brota seu estilo e sua própria pesquisa poética,  influenciado pelas manifestações populares: as festas, o cordel, os contos, as histórias contadas pelo povo, as xilogravuras, os artesões, as expressões religiosas, o conhecimento cultural e sua própria espiritualidade. Como ser político, é na própria existência e no interesse pelas pessoas e pelo país que encontra seus personagens: retratam em seu trabalho, histórias de pessoas reais e suas experiências de luta, de resistência e de vida. Guerreiros e guerreiras, muitas vezes anônimos, se fundem a símbolos que brotam abundantes de seu inconsciente, referências e raízes. Tudo isso termina por revelar um artista pleno, de produção original e consistente, caminhando rumo à evolução.

Mariana Jorge

It was in a universe full of visual references that Pixote Mushi grew up. Into the geometric and gray industrial landscapes of the ABCD region in São Paulo, mixed with the stacking of houses and people, cultures and expressions of the São Paulo central and suburban areas where Pixote absorbed and lived the gorgeous cultural production of the largest metropolis in Latin America.

Starting his art production at the age of 12 through graffiti, the hip-hop visual expression, as well as the most of young people from the suburban zones, he got into the graphic computing field, working with 3D modeling and characters design. But it was when he started the path to his self-knowledge that he found his pure essence.  

When in the middle of a chaos of aesthetics profusion where the artist works, he asks himself what touches his heart deeply and finds himself in love with popular art. Assuming his art DNA and meeting with himself, he goes all over Brazil look for his roots, from north, native, and also African, why not? And there is where the artist finds the source of his art style and his poetic research, influenced by the popular expressions, the festivals, the ‘cordel’, the tales and stories told by the people, the woodcut, the handcrafts, the religious expressions, the cultural knowledge and his own spirituality. As a politic being, is in his own existence and interest for the people and for the nation that he found his characters, representing in his work real life stories of fight and resistance. Warriors, most of the time anonymous, merge with symbols that sprout abundantly from his subconscious, references and roots. All of this ends up revealing a full artist, with an original and consistent production, moving towards evolution.

Mariana Jorge

PIXOTE MUSHI - Todos os direitos reservados @ 2019